sexta-feira, 3 de maio de 2013

Brasil com S


Moleque, desce da jabuticabeira
Menino, volte pra aqui que a mãe te chama
Guri, tu tira esses pé da água
Moço, me faz um fiado pr'eu levar

A manga tá verde ainda, espera
Se a cana não tiver roxa, não vou cortar
Butiá maduro é ruim pra canha
O almoço tá servido, sai desse pomar

Dengo, foi tudo bem na feira?
Meu nego, tira a roupa e vem me amar
Para de sem vergonhice e zona
Quem é essa china agora? Eu vou matar

Moleque, esquece o bicho e vai dormir
Benzinho, não tem nada lá eu juro
Piá, larga de frescura e te encolhe
Mas filha, acorda, que o mundo é duro

Um comentário:

j. disse...

Que poesia LINDA.
É de uma essência totalmente brasileira.
Gostoso de ler. Me faz querer sorrir.

E o título não poderia ter sido melhor.
Brasil com S é a nossa identidade.

Gostei do seu modo de ver a vida, o qual exala nas suas escritas.

Jess