segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Sobre o Amor

Dane-se o que dizem sobre eu ter que deixar o romantismo de lado. Eu sou assim e se nao gostou, alguem gosta.

Enfim, eu estava pensando sobre um REP que eu ouvi ha um tempo e resolvi experimentar. A musica eh a Jardim de Amor - do Vando MDC e diz assim...
Só quero que saiba ...

Que aqui se retrata um louco que nunca se abala
Que às vezes tropeça diante de falhas
Mas nunca desanda ou se cala
Invejado por tantos canalha
Mau falado por algumas gata
Do tipo piranha e safada,se faz de difícil pra se
arreganhar!


Dessas eu cansei!
Hoje eu dou valor a quem me dá valor
E errou quem um dia falou que malandro não gosta de
amor!
 
Essa parte sobre eu dar valor a quem me da valor falou ao meu coracao queguei e eu resolvi experimentar. No maior estilo Cansei, o amor que me encontre
E parece que esta dando certo. Conheci uma garota da cidade onde eu morava que parece ter caido dos ceus. Tudo que eu precisava neste momento de carencia. Eu precisava de alguem que me dissesse o quanto me acha bonito e tal, isso faz muita falta.
Apesar de nos conhecermos quase nada, eu vou investir nesse amor de verao.
Agora vai uma poesia inspirada nela. Acho que ainda eh muito cedo pra dizer que a amo... Mas, Eu te Adoro Nathalia Peres

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Impressao e exercicio de estilo fracassado

E lá se vai    a menininha
E lá     vai  ela
       se vai     a
           Embora
 Triste  e              sozinha.
 

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Sempre haverá

Bom, já faz um tempo que eu tento montar uma banda ou vender minhas composições, mas no final nada dá certo. E, depois de muito relutar, resolvi postar algumas delas aqui: Pras pessoas conhecerem o meu trabalho. Se alguém se interessar em gravá-las, melhor ainda!

Sempre haverá

Certa vez fui perguntado no que se deve acreditar
Como e o que fazer, e em quem devemos confiar
Fiquei perdido, não conseguia nem falar
Apenas a morte é certa, o resto o tempo dirá
Mas acredite quando eu digo:
Da vida nada se leva, e nela sempre haverá. . .

Sempre haverá alguém pra se confiar
Sempre haverá pessoas de se duvidar
Sempre haverá erros a se cometer
Sempre haverá tempo pra se arrepender
Sempre haverá

Sempre haverá assunto para conversar
Sempre haverá conversas proibidas
Sempre haverá alguém que nos fará sofrer
Sempre haverá amores para se viver
Sempre haverá

Sempre haverá algo a se confessar
Sempre haverá perguntas sem respostas
Sempre haverá lugares a se conhecer
Sempre haverá lições para se aprender
Sempre haverá


Sempre haverá quem diga que a vida é dura
Sempre haverá batalhas a serem vencidas
Sempre haverá quem diga que somos muito novos pra fazer
Sempre haverá quem diga que somos velhos demais pra viver!
Sempre haverá

Meu Herói

Quando eu era pequeno tinha muitos heróis. Sonhava em ser um deles. Sonhava fazer um mundo melhor com seus poderes. Eu era criança. Toda criança precisa de heróis, precisa de alguém que dê exemplo, de alguém que lute pelo bem, que seja justo e etc. … Um desses meus heróis era meu pai. A vontade que ele teve de largar a bebida por mim, a vontade que ele tinha de me ver feliz, mesmo que o dinheiro fosse escasso ele sempre me dava alguma coisa, um brinquedo, alguma coisa boa pra comer… nunca me deixou falta nada. Infelizmente ele decidiu tirar sua vida por causa de uma depressão muito forte… Às vezes penso se meu herói não pensou em mim, como fez muitas vezes pra superar a bebida, o fumo, o orgulho… Penso se ele não pensou o que seria de mim sem o meu herói. Não, ele não pensou. Mas deixou uma boa imagem. Um exemplo de superação do vício. Me lembro do momento em que ele estava de ressaca e eu felei com minha toda minha inocência:

– Pai, por que tu bebe?

Ele não me respondeu, mas prometeu deixar a bebida e o fumo. E com muita força de vontade ele deixou. Ele é o cara! Ele é o meu herói! Por mais que tenha essa mancha negra em sua carreira, um herói nunca deixa de ser um herói. O meu herói foi um exemplo de superação pra mim. Ele me amava e não queria me ver triste. Ele viu que quando bebia me deixava triste. O que ele preferiu? A bebida ou minha felicidade? Por isso que ele será sempre o meu herói, pra sempre eternizado no meu coração por me amar tanto assim…

Poxa, todo o pai é um herói e tem gente que rejeita o seu… Por mais que ele não demonstre, ele te ama, do jeito dele, mas ama… ama muito. Posso citar um caso que aconteceu com minha ex-namorada. Ela me dizia que o pai dela nunca disse um “eu te amo” , nunca demonstrou que amava ela realmente, e eu disse que a atitude teria que vir dela. “Começe com um eu te amo” , “demonstre seu amor por ele” , ” ele te ama muito, só que do jeito dele” , “um dia ele vai dizer eu te amo, pode ter certeza” … Bom, o namoro acabou e ela nunca fez nada do que eu disse. Um dia no meio da rua ela me parou e disse:

- Aconteceu o que tu disse!

- O quê?

– O meu pai disse que me ama.

- Que bom! Eu disse que ia acontecer.

– É…

O pai dela estava muito doente. Até que não agüentou eu morreu. Tarde demais. Minha ex não valorizou o herói que tinha. Assim como eu, ela não tem mais o exemplo de pessoa, ela não tem mais o herói… O que falta para as pessoas valorizarem seus heróis? O que falta pra humanidade dizer um “eu te amo” ? É por isso que o mundo está desse jeito…

Eu faço a minha parte, não hesito em demonstrar meu amor pra quem eu amo. E é tão bom falar “eu te amo” . Não me arrependo do dia em que eu disse pela primeira vez:

– Pai, eu te amo…

domingo, 13 de dezembro de 2009

Uma Linda Poesia

Eu estava escrevendo no meu blog e tinha que pesquisar uma poesia pra botar ali. Botei no Google "POESIA" e cliquei num link que dizia Vinícius de Moraes. Geralmente essas poesias antigas não me chamavam a atenção pois possuem uma linguagem muito difícil de entender. Mas essa poesia "matô a pau!"

Aí vai ela:

Amor em paz

Eu amei
Eu amei, ai de mim, muito mais
Do que devia amar
E chorei
Ao sentir que iria sofrer
E me desesperar

Foi então
Que da minha infinita tristeza
Aconteceu você
Encontrei em você a razão de viver
E de amar em paz
E não sofrer mais
Nunca mais
Porque o amor é a coisa mais triste
Quando se desfaz


No momento que acabei de ler essa poesia me despertou uma vontade de escrever alguma. Me deu uma vontade de fazer tudo virar poesia. Não sei se acontecerá com vocês, mas está aí uma bela poesia. Espero que gostem... =)

sábado, 12 de dezembro de 2009

Batidas a porta

Um dia de chuva me inspira de uma tal maneira a escrever. Talvez por nao ter mais nada pra se fazer. Acho que hoje eu vou postar muita coisa aqui. Tudo bem que ninguem le, mas nunca exigi leitores... *-*

Primeiramente uma leve introducao. A cronica que apresento agora é quase metalinguistica. Assim, eu sempre achei interessante as profissoes ligadas a arte porque sao estas que dao maior paixao, creio eu, a pessoa que as pratica. E alem de uma profissao, isso vira um estilo de vida.
Eu reconheco um ator, um comediante, um escritor de longe, porque eles (nos) vivem de uma maneira diferente.
Os comediantes sao, em maioria, ironicos e sarcasticos. Mas podem ser bem reservados.
Os atores sao bastante imaturos, as vezes. Gostam de se mexer, de pular e de rir.
Os escritores, bem, nos somos muito reservados, timidos e solitarios. Muitas vezes desenvolvemos alguns transtornos psicologicos. Mas, em maioria, somos cultos e inteligentes. Hehehe!
Aqui vai uma cronica que mostra bastante a vida de um escritor fracassado desiludido. Espero que gostem!

Primeiro post *-*

Pois é... Estou aqui para ajudar meu (miguxo!!!) colega em seu adorável e delicado blog. Primeira e unicamente quero dizer que não esperem que eu escreva coisas sem sentido ou obscenas como escreve o meu querido (miguxo!!!) colega. Vou tentar divertí-los, informá-los, mostrar um pouco de mim ... enfim, tudo o que um (nerd idiota sem nada pra fazer) blogueiro tenta fazer, não é mesmo?

Enfim, não esperem muito de mim =P

Beijinhos =*

Novo autor no blog!

Bem, primeiramente quero pedir desculpas pela falta de postagens, eh que estou muito atarefado com os exames finais da escola e a falta de criatividade nao ajuda.
Por isso, apresento-lhes um novo parceiro do Devaneios... Alisson Lucena - ou Aminduim.

Ele vai me ajudar quando eu nao tiver nada pra postar. Era isso. Beijosmeliga *o*

domingo, 22 de novembro de 2009

Palavras de amigo

Você que está aí se debatendo dentro de si mesmo, achando que viver não vale a pena. Vale sim! Sempre vale a pena.
O que a gente aprenderia se não sofresse? O sofrimento faz parte da evolução... E não é só você que sofre assim, viu. Não seja tão egocêntrico. Não vou dizer que os da fome sofrem mais porque eu não sou ninguém pra julgar qual o tamanho da tua dor. Só a gente sabe o quanto é ruim um sentimento assim, os outros nunca vão sentir a mesma coisa. Nem passando pela mesma experiência. Porque cada um de nós digere a informação e a dor de forma diferente. Só não reclame, porque nada é tão mau quanto parece. Depois que passa você até acha graça e pensa - Como eu pude derramar tantas lágrimas por essa coisa fútil?! -.
E nem imagine tirar a própria vida! Só Deus tem o direito disso. E se você estiver sofrendo, está aprendendo e Ele não pode interromper isso. Claro que um idoso numa cama de hospital agonizando não está aprendendo nada, e morre! Mas você está sofrendo por uma bobagem, e tem um propósito todo este sentimento de agonia. E o Pai Maior vê isso, e sabe também que isso vai passar.
Ninguém tem o direito de interromper a evolução do espírito de ninguém, nem mesmo nós mesmos. Muitos penam indo e voltando porque se suicidaram... E isso eu sei!
Então não pense em cometer essa atrocidade. Vai dormir que amanhã tudo muda.

(pelo espírito Luiz Daniel)

sábado, 21 de novembro de 2009

Foi assim

(à Rafaela Bento)

E foi assim que tudo começou.
Conversas banais e sem sentido
Eu tento mudar quem eu sou
E quero bem mais do que um amigo

Foi assim e não teve saída
Achei que não daria em nada
Encantei-me com sua visão de vida
E ria-me da tua risada

Foi assim, sem razão
E quem disse que ela existe
Onde há a emoção

Foi como era pra ser
Mesmo sem querer, sem poder
Eu amo você!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

O Quereres - Caetano Veloso

Recebi essa poesia na aula de Português e achei bem gay legal, por isso tô postando aqui. Nota: Lembrou-me Vinícius...

Onde queres revólver, sou coqueiro
E onde queres dinheiro, sou paixão
Onde queres descanso, sou desejo
E onde sou só desejo, queres não
E onde não queres nada, nada falta
E onde voas bem alto, eu sou o chão
E onde pisas o chão, minha alma salta
E ganha liberdade na amplidão

Onde queres família, sou maluco
E onde queres romântico, burguês
Onde queres Leblon, sou Pernambuco
E onde queres eunuco, garanhão
Onde queres o sim e o não, talvez
E onde vês, eu não vislumbro razão
Onde o queres o lobo, eu sou o irmão
E onde queres cowboy, eu sou chinês

Ah! Bruta flor do querer
Ah! Bruta flor, bruta flor

Onde queres o ato, eu sou o espírito
E onde queres ternura, eu sou tesão
Onde queres o livre, decassílabo
E onde buscas o anjo, sou mulher
Onde queres prazer, sou o que dói
E onde queres tortura, mansidão
Onde queres um lar, revolução
E onde queres bandido, sou herói

Eu queria querer-te amar o amor
Construir-nos dulcíssima prisão
Encontrar a mais justa adequação
Tudo métrica e rima e nunca dor
Mas a vida é real e de viés
E vê só que cilada o amor me armou
Eu te quero (e não queres) como sou
Não te quero (e não queres) como és

Ah! Bruta flor do querer
Ah! Bruta flor, bruta flor

Onde queres comício, flipper-vídeo
E onde queres romance, rock’n roll
Onde queres a lua, eu sou o sol
E onde a pura natura, o inseticídio
Onde queres mistério, eu sou a luz
E onde queres um canto, o mundo inteiro
Onde queres quaresma, fevereiro
E onde queres coqueiro, eu sou obus

O quereres e o estares sempre a fim
Do que em mim é de mim tão desigual
Faz-me querer-te bem, querer-te mal
Bem a ti, mal ao quereres assim
Infinitivamente pessoal
E eu querendo querer-te sem ter fim
E, querendo-te, aprender o total
Do querer que há e do que não há em mim

domingo, 8 de novembro de 2009

Devaneando...

Será que eu fiz a escolha certa? Será que vale à pena mudar?

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Talvez um dia você perceba

que eu faço falta na sua vida, e essa falta não pode ser preenchida por qualquer coisa, nem qualquer um. Talvez um dia, no meio de tantos, posso até não ser aquele com quem você sonha, mas sou a pessoa que mais te completa e talvez no exato momento em que você perceber tudo isso, eu descubra que estar com você não vale mais a pena.

sábado, 31 de outubro de 2009

Post sécsie de sábado

Mais um final de semana que chega, minha cidade passa por uma onda de calor e todos esperam algo de sábado à noite.
Já aproveitando o post, Feliz Halloween Dia do Saci!

Bom, o post de hoje é uma coisa que eu tenho vontade de fazer há horas, mas o que me inspirou foi o filme Entre Lençóis, que eu assisti ontem e achei demais! Sem querer me comparar ao Gianecchine, mas me enxerguei totalmente algumas vezes no personagem dele - Roberto.
E agora, copiando outros blogueiros, Insoonia etc., vou escrever algumas coisinhas que eu acho importante na hora do vamu vê sexo. Não que eu seja uma pessoa de vastos conhecimentos sobre o assunto, apesar de um teste do twitter  ter dito que eu sou um deus ótimo na cama, mas acho que sei mais do que alguns =P

Sem mais delongas... aqui vão algumas dicas, a princípio, para os garotos.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Matérias escolares na prática

Bem, pessoas desocupadas legais, estava eu a pensar sobre o próximo post quando lembrei que a maioria dos meus miguxos leitores estão na idade escolar, ainda. Por isso resolvi criar algo meio que escolar (?!)
Espero que gostem...

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Eu queria um dia...

Poder abrir os olhos de manhã e ouvir os pássaros. Talvez até uma melodia suave de algum poeta que canta as belezas do mundo. Queria poder falar aos meus amigos os meus medos, tendo a certeza de que eles não irão usá-los contra mim. Queria sonhar. Queria brincar. Queria amar.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Love Hurts - I

Era uma vez um garoto que se apaixonou por uma garota... Ela nao dava a minima pra ele, mas com o tempo os dois comecaram a se conhecer melhor e terminaram namorando...

domingo, 4 de outubro de 2009

Love Hurts

 Assim... Nao é que eu nao goste do Amor nem nada assim. Eu o acho lindo, de qualquer forma. Mas acredito que comigo nao funcione!

Simplesmente eu nao nasci para esse tal de sentimento unico etc. etc.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Stand up Just for laughs - legendado por mim!

video
Jim Breuer >Alcool - legendas Leo Ottesen =P

sábado, 19 de setembro de 2009

Amor & Loucura

Em tempos atrás viviam duas crianças, um menino e uma menina, que tinham entre quatro e cinco anos de idade.O Menino chamava-se Amor e a Menina Loucura.O Amor sempre foi uma criança calma,doce e compreensiva. Já Loucura era muito emotiva,passional e impulsiva, enfim, o tipo que jamais levava desaforo para casa.Entretanto com todas as diferenças as crianças cresciam juntas, inseparáveis; brincando, brigando... Mas houve um dia em que o Amor não estava muito bem, e acabou cedendo às provocações de Loucura, com a qual teve uma discussão muito feia. Ela não deixava nada barato,estava furiosa como nunca com o Amor,começou a agredi-lo, mas não só verbalmente como de costume.A menina estava tão descontrolada que agrediu o garoto fisicamente e,antes que pudesse perceber, arrancou os olhos do Amor.O Amor sem saber o que fazer,chorando foi contar a sua mãe,a deusa Afrodite, o que havia ocorrido.Inconsolada, Afrodite implorou a Zeus que ajudasse seu filho e que castigasse Loucura. Zeus,por sua vez, ordenou que chamassem a garota para uma séria conversa.Ao ser interrogada a menina respondeu como se estivessecom a razão que o Amor havia lhe aborrecido e que foimerecido tudo o que aconteceu.Embora soubesse que não fora justa com seu amigo,a menina que nunca soube se desculpar concluiu dizendo quea culpa havia sido do Amor e que não estava nem um pouco arrependida.Zeus,perplexo com a aparente frieza daquela criança disse que nada poderia fazer para devolver a visão do Amor,mas, ordenou que Loucura estaria condenada a guia-lo por toda a eternidade. Estando sempre junto ao Amor em cada passo que este desse.E até hoje eles caminham juntos, onde quer que o Amor esteja com ele estará Loucura, quase que fundidos numa só essência.Tão unidos que por vezes não se consegue definir onde termina o Amor e onde começa a Loucura. É também por isso que dizemos que o Amor é cego; mas isso não é verdade, pois o Amor tem os olhos da Loucura.
Autor Desconhecido
"A Loucura sempre guiou o Amor"

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Rápido

Acho que era o Marcel Marceau que tinha uma pantomima em que ele
representava a vida de um homem, do berço ao túmulo, em menos de um
minuto. Shakespeare, claro, tem seu famoso solilóquio sobre as idades do
homem que também e uma maravilha de sintetização poética. Nossas vidas,
afinal, comparadas com a idade do Universo, se desenrolam em poucos
segundos. Cabem numa página de diálogo.
- Quer dançar?
- Obrigada.
- Você vem aqui sempre?
- Venho.
- Vamos namorar firme?
- Bom... Você tem que falar com o papai...
- Já falei com seu pai. Agora é só marcar a data.
- 26 de julho?
- Certo.
- Não esqueça as alianças...
- Você me ama?
- Amo.
- Mesmo?
- Sim.
- Sim.
- Parece mentira. Estamos casados. Tudo está acontecendo tão rápido...
- Sabe o que foi que disse o noivo nervoso na noite de núpcias?
- O quê?
- Enfim, S.O.S.
- Você estava nervoso?
- Não. Foi bom?
- Mmmm. Sabe de uma coisa?
- O quê?
- Eu estou grávida.
- É um menino!
- A sua cara...
- Aonde é que você vai?
- Ele está chorando.
- Deixa... Vem cá.
- Meu bem...
- Hmm?
- Estou grávida de novo.
- É menina!
- O que é que você tem?
- Por quê?
- Parece distante, frio...
- Problemas no trabalho.
- Você tem outra!
- Que bobagem.
- É mesmo... Você me perdoa?
- Vem cá.
- Aqui não. Olha as crianças...
- O Júnior saiu com o carro. Ia pegar uma garota.
- Você já falou com ele sobre...
- Já. Ele sabe exatamente o que fazer.
- O quê? Você deu instruções?
- Na verdade ele já sabia melhor do que eu. Essa geração já nasce sabendo.
Só precisei mostrar como se usa o macaco.
- O quê?!
- Ah, você quer dizer... Pensei que fosse o carro. E a Beti?
- Parece que é sério.
- Ela e o analista de sistemas?
- É. Aliás...
- Estão vivendo juntos. Eu sabia!
- Ela está indo para o hospital.
- Já?!
- São gêmeos!
- Sabe que você até que é uma avó bacana?
- Quem diria...
- Vem cá.
- Olha as crianças.
- Que crianças?
- Os gêmeos. A Beti deixou eles dormindo aqui.
- Ai.
- Que foi?
- Uma pontada no peito.
- Você tem que se cuidar. Está na idade perigosa.
- Já?!
- Sabe que a Beti está grávida de novo?
- Devem ser gêmeos outra vez. O cara trabalha com o sistema binário.
- Esse conjunto do Júnior precisa ensaiar aqui em casa? Que inferno.
- E o nome do conjunto? Terror e Êxtase.
- Vão acordar os gêmeos.
- Ai.
- Outra pontada?
- Deixa pra lá. Olha, essa música até que eu gosto. Não é rock-balada?
- Não. Eles estão afinando os instrumentos.
- Quer dançar?
- Não! Você sabe o que aconteceu da última vez.


Luis Fernando Ver!ssimo

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Hoje eu parei pra pensar


Essa noite eu não dormi. Cheguei em casa cansado e entrei no mundo fake do orkut e msn pra tentar me reanimar. Funcionou! Conheci uma moça muito legal e linda... Mas essa amizade ao que me parece será apenas virtual, ela mora muito longe...
Antes de ir me deitar eu reparei no sol que estava nascendo pela janela da sala. Lindo demais! O céu roxo e nenhuma nuvem.
Às vezes a gente nem percebe, mas as coisas mais belas da vida são de graça. E são geralmente aquelas que não podemos explicar. Nenhuma poesia, nem música, pintura, filme... enfim, NADA pode explicar o explêndido prazer de ver o Astro Rei surgir no horizonte.
As fotos podem até ser bastante fiéis, mas a emoção de assistir a estes momentos ao vivo, é ímpar.
Ao mesmo tempo, uma roda de amigos bebendo e tocando violão. Um fim de tarde na praia com a família. Essas coisas simples que nos fazem sorrir sozinhos. Isso é vida!
Resolvi fazer uma mudança radical na minha personalidade. Vou trocá-la.
Cansei de ser o diferente, a excessão às regras. Agora eu serei apenas mais um.
Ser único só me fez sofrer. Eu sou especial... sim sou, mas pra quem?
Sei que pras minhas pretendentes eu nunca fui especial, senão elas ainda estariam comigo.
Apenas tenho uma pequena noção do que virá pela frente.
As mulheres sempre pediram um homem que fosse assim e fizesse isso ou aquilo... eu era este homem e fui durante dezessete anos.
Mas agora eu serei apenas mais um vagabundo, machista e encontrarei mulheres com quem terei uma noite de prazer e só.
Um dia, quiçá, a minha alma gêmea me encontrará e dirá assim... "Como eu queria que você fosse um homem que repara em mim, que me elogia, que é cavalheiro, romântico e carinhoso... diferentes dos outros caras"
E eu responderei... "Eu fui... Um dia eu fui esse cara"
Não leve a vida tão a sério, afinal você não sairá vivo dela!

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

As sete lágrimas de um preto velho




Num cantinho de um terreiro, sentado num banquinho, pitando o seu cachimbo, um triste preto-velho chorava. De seus olhos molhados, esquisitas lágrimas desciam-lhe pelas faces e não sei porque contei-as... Foram sete.


Na incontida vontade de saber aproximei-me e o interroguei. Fala, meu preto-velho, diz ao teu filho por que externas assim uma tão visível dor?


E ele, suavemente respondeu: Estás vendo esta multidão que entra e sai? As lágrimas contadas estão distribuídas a cada uma delas.


A primeira, eu dei a estes indiferentes que aqui vem em busca de distração, para saírem ironizando aquilo que suas mentes ofuscadas não podem conceber...


A segunda a esses eternos duvidosos que acreditam, desacreditando, na expectativa de um milagre que seus próprios merecimentos negam.


A terceira, distribui aos maus, aqueles que somente procuram a UMBANDA, em busca de vingança, desejando sempre prejudicar a um seu semelhante.


A quarta, aos frios e calculistas que sabem que existe uma força espiritual e procuram beneficiar-se dela de qualquer forma e não conhecem a palavra gratidão.


A quinta, chega suave, tem o riso, o elogio da flor dos lábios mas se olharem bem o seu semblante, verão escrito: Creio na UMBANDA, nos teus caboclos e no teu Zambi, mas somente se vencerem o meu caso, ou me curarem disso ou daquilo.


A sexta, eu dei aos fúteis que vão de Centro em Centro, não acreditando em nada, buscam aconchegos e conchavos e seus olhos revelam um interesse diferente.


A sétima, filho, notas como foi grande e como deslizou pesada? Foi a última lágrima, aquela que vive nos olhos de todos os Orixás. Fiz doação dessa aos Médiuns vaidosos, que só aparecem no Centro em dia de festa e faltam as doutrinas.
Esquecem que existem tantos irmãos precisando de amparo material e espiritual.


Assim, filho meu, foi para esses todos, que viste cair, uma a uma
AS SETE LÁGRIMAS DE UM PRETO-VELHO.

sábado, 15 de agosto de 2009

Morro um pouquinho a cada dia


Nenhum amor acaba de uma hora para outra. Ocorre todo um processo, antes de se ter consciência de que realmente acabou. Nem sempre percebemos estes sintomas, que avisam e gritam que algo está errado. Muitas vezes, estamos tão apaixonados, enlevados pela doce sensação, de, talvez depois de muito tempo, amar alguém profundamente.

Não percebemos que a pessoa, a quem entregamos o nosso coração, a quem contamos os nossos mais profundos segredos de alma, mudou.

Nosso instinto sabe sim, que algo está errado. Mas, talvez, para não querer sair do mundo de tanta magia, que estamos vivendo, ignoramos propositalmente os sinais.

Não notamos que nosso parceiro está com os olhos distantes, que se ausenta, que está meio calado. Não queremos acreditar que algo vai mal. Afinal, amamos tão profundamente e estamos tão felizes, que é insuportável pensar que a outra pessoa não esteja sentindo a mesma coisa por nós.

Damos o nosso máximo Entregamos a nossa mais pura essência. Flutuamos, em vez de andar e ficamos bobinhos, sorrindo e cantarolando o tempo todo.

Então, num belo dia, nosso mundo todo desaba. A pessoa nos confessa, que não nos ama mais. Que não é isso que quer. Que não corresponde plenamente aos nossos tão intensos sentimentos. Não podemos crer que isso realmente esteja acontecendo. Parece um sonho ruim.

Como que não percebemos antes? Por que fomos tão longe, sem fazer uma avaliação mais racional?

A primeira reação é de profundo desespero. O chão some sob nossos pés, o corpo começa a tremer e o coração quase pára de bater. O ar some de nossos pulmões e achamos que vamos morrer de tanta dor. Tudo perde o sentido. A vida se torna cinzenta, e nada, absolutamente nada, pode aliviar esta sensação de quase morte.

E agora? O que fazer com o grande baú de sonhos que sonhamos juntos? O que fazer com os tantos planos e metas que elaboramos, para uma vida a dois? Momentaneamente, tudo parece acabar. Mas, logo percebemos que nada podemos fazer. Ligamos, implorando para que reconsidere. Mas a pessoa é taxativa e não tem volta.

Esta constatação nos atinge com o poder de uma lâmina, dentro do coração, e arranca todo e qualquer vestígio de esperança. E, como sonâmbulos, passamos a vagar pelos dias e noites que se seguem. Chorando copiosamente, sem sentir fome, sem ter noção das horas.

Os dias passam, e então, os sentimentos confusos, que vão desde a mágoa profunda, até a raiva mais intensa, derramam também a culpa dentro da gente.

Passamos a achar que o erro está em nós. Que poderíamos ter feito mais. Que não somos bons o suficiente, ou ainda, que não merecemos ser amados.

Esta é a coisa mais injusta que fazemos com nós mesmos. Mas, faz parte do processo. E PASSA! ACREDITE NISSO!

A profunda saudade começa a pesar, e o vazio nos avisa que precisamos tomar uma atitude. Perdemos uma parte de nós mesmos, mas precisamos recomeçar por alguma ponta. Jogar-se de corpo e alma dentro dos afazeres, trabalhar muito, ocupar a mente, para evitar pensar é a estratégia mais usada. É uma espécie de blefe que funciona parcialmente. Chegamos tão cansados, que dormimos sem fazer força. Mesmo que nossas noites sejam povoadas por pesadelos. Mas, a noite passa e um novo dia sempre chega. E mais um. E mais um.

E, a dor finalmente dá uma pequena trégua. Muito timidamente, começamos a sorrir outra vez. Passamos, novamente, a prestar atenção aos detalhes da vida, e despertamos lentamente, desse estágio de hibernação da alma, que ficou mergulhada na dor.

Erros? Não houve erros. Faltou foi sintonia. Não era para ser. Por mais amor que doássemos, não foi para a pessoa certa. Então, meio a contragosto, olhamos para trás. E lá está escrito, que esta pessoa era muito diferente do modelo de amor, que trazíamos escrito em nossa memória. Não era tanto amor assim, afinal de contas. Nem da nossa parte. Foi sim, algo maravilhoso que vivemos, mas passou. Fez parte das provas da vida. Do nosso crescimento pessoal. Talvez nos mostrou a NOSSA GRANDE CAPACIDADE DE AMAR. Como temos um coração lindo! Ele ama, sem ressalvas e se entrega totalmente. Esta é a lição que deve permanecer. Somos tão plenos de sentimentos! E, neste Universo tão intenso de almas lindas, deve ter alguém, em algum lugar, sonhando exatamente com alguém como a gente. E se chamarmos? Hum, quem sabe! Vamos conectar o nosso pensamento, nos enfeitar lindamente, espalhar rosas e versos, dentro de nosso coração, e ESPERAR. Tenho certeza absoluta, que em alguma curva da estrada, estará esperando por nós, o NOSSO GRANDE E VERDADEIRO AMOR! Vamos ao encontro dele!!!

sábado, 8 de agosto de 2009

Pedras no caminho e enfim

Pedras no caminho? Guardo todas. Um dia construirei um castelo!


Estou apaixonado e isso parece incrível. Depois de achar que nunca mais iria amar outra pessoa. Depois de achar que a minha alma gêmea não existe. Depois de entrar e sair de uma profunda depressão. Depois de enlouquecer completamente e se alienar da vida, entrando num mundo que talvez não tivesse volta. Depois disso tudo eu me apaixonei e consegui uma namorada. Enfim!

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Old Profile and my e-book

Constante na vida, só a mudança
______o menino que chora por qualquer coisa
________que é sincero, custe o que custar
_______que sonha quando tem que sonhar,
________que vive quando tem que viver
_______que não se arrepende do que fez
______nem do que deixou de fazer
_______posso até perdoar
______mas não esquecer
_____podem me copiar
______mas não me compreender

______que tem. . .
*Fé em si mesmo
**Vontade de vencer
***Sonhos a conquistar
****Batalhas a vencer
*****Amores a cultivar
******Pessoas a conhecer
*******Lugares a visitar
********E muita vontade de
*****aprender!*****


Não tente me descobrir, nem desbravar.

Trago em mim portos seguros e trechos traiçoeiros.

Às vezes tranqüilo e belo, ainda assim destrutivo.

Por isso, todo cuidado é pouco.

Não se engane e nem me engane.

Sou totalmente influenciável.

A lua me olha e, com seu sorriso doce,

diz para onde revirar minhas águas.

O céu dita a cor que devo ter.

Porém, em minha profundeza,

as cores e formas somem.Sou apenas eu.

Contente-se com a minha superfície.

É a melhor maneira de você não sair machucada...
Sou o Mar (Leandro Kerr)


Eu sou aquele que não se rotula, que é incomum.
O metidinho que adora ajudar os outros e que tem alguns poucos que o ajudam.
O cara que faz Rap, e não é rapper
Que escreve música emocore, e não é EMO
Que é escritor, e nunca publicou um livro
Que é blogueiro, e ninguém o lê
Que é poeta, e não aprendeu a amar
Que é louco, e é o mais certo da turma
Que não se envergonha, mas é tímido
Que é galinha, mas é fiel
Que é tudo e mais um pouco
Olha as minhas comunidades que elas me explicam
Decifra-me, se for capaz

A vida é construída nos sonhos e concretizada no amor
[Chico Xavier]

domingo, 21 de junho de 2009

Só pra alegrar os ânimos

Você já fez sexo pela internet? Obs. Não foi uma pergunta, e sim a dica de um livro muito bom, escrito por uma ótima jornalista. Enfim...
Preparem-se


Macho: Bom, se é isso que vc quer… Pronto, tô metendo…
MolhadinhaRJ: Mete, mete ela todinha
Macho: Vc gosta disso?
MolhadinhaRJ: Sim, agora tira ela
Macho: Pronto
MolhadinhaRJ: Tô imaginando vc pegando graxa, passando na vassoura e metendo ela em mim…
Macho: Escuta aqui, vc é maluca?
MolhadinhaRJ: Sim, sou louca, tarada, doida, aiii, mete, vai!!
Macho: Tá bom, tô metendo.
MolhadinhaRJ: Isso, rebola com a vassoura dentro de mim, vai, mete…
Macho: Tô rebolando, metendo, botando, tá gostoso?
MolhadinhaRJ: Muito, ahhnnnn. Agora faz o seguinte…
Macho: O quê? Tira a vassoura e enfia pelo outro lado?
MolhadinhaRJ: Não, pega seu pau e encosta no monitor…
Macho: O QUÊ?!
MolhadinhaRJ: É isso mesmo, bota, vai, que eu vou subir em cima do monitor e me esfregar todinha nele…
Macho: Mas é assim que se transa pela internet?
MolhadinhaRJ: É assim que eu gosto… Vai, encosta e toca uma punhetinha pra mim..
Macho: Mas eu vou esporrar meu computador todo
MolhadinhaRJ: Eu também vou deixar o meu molhadinho, vai, encosta…
Macho: Tá bom, eu estou com a cabecinha dele encostada no monitor
MolhadinhaRJ: Aiiii, hummmm, qhe delucis
Macho: Como é que vc está conseguindo digitar?
MolhadinhaRJ: Ahnnnn, devd aatar sanndo tdo erasdfo ms fddd=se
Macho: O QUÊ?
MolhadinhaRJ: Ajjjjh v gozoarMacho: Put4 M3rda!
MolhadinhaRJ: AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHH!!!!!!
Macho: Gozou?
MolhadinhaRJ: Não, caí no chão!
Macho: AHH, MEU DEUS! ESSA MULHER É DOIDA!
MolhadinhaRJ: Calma, garotão… ai, foi tão gostoso
Macho: Escuta, vc não prefere fazer isso ao vivo?
MolhadinhaRJ: Claro, gostoso, vem me pegar e vamos foder a noite inteira
Macho: Tá bom, finalmente vou saber onde vc mora. Onde é?
MolhadinhaRJ: Em Ipanema, na Vinicius de Moraes
Macho: Mas é aqui do lado, eu moro na Prudente
MolhadinhaRJ: Que bom, então vem pra cá agora. Eu moro no 3456
Macho: Que coincidência, minha avó mora nesse prédio. Conhece a dona Célia?
MolhadinhaRJ: Renatinho?!?!
Macho: VOVÓ?!?!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Crônica da meianoite

Meia-noite. Zero hora e zero sono. Já estourei meu limite de xícaras de café e agora a insônia mostra a cara.
Aproveitando o momento de ócio comecei a reparar no amor
- depois de perder a oportunidade de me apaixonar. E penso também na vida - e em como ela é curta. Enfim...
Juntando essas duas coisas eu percebi o que sempre disse quando perguntado: Amar é curtir cada momento e cada mínima coisa, as simples coisas da vida. Já que são essas pequenas coisas às vezes despercebidas que dão beleza ao viver.
Aproveitar cada instante, cada minuto. Se amar um alguém – Curta cada palavra pronunciada ao mesmo tempo, as frases completadas. Ria até chorar. Sinta a respiração e os batimentos da pessoa amada sempre que puder.
Se amar a liberdade – Agradeça por ser livre. Por viver livre e dizer o que pensa, e pensar o que quiser. E peça a Deus que continues livre e demonstre o seu amor vivendo sem medo de voar.
Se amar a vida – Viva intensamente e não perca tempo. Corra atrás dos seus sonhos, mas não viva deles... e sim para eles.
Se lambuze de chocolate, coma frango com as mãos, deseje bom dia a desconhecidos, beba água da pia com as mãos em forma de concha, caminhe descalço na praia, assista ao pôr-do-sol e, cante muito e bem alto!
Não se envergonhe de ser feliz, nem de tentar ser. Diga verdades brincando, isso ameniza a dor.
Essas são as pequenas coisas que tornam o mundo melhor. Mas não perca oportunidades, pois cada uma delas é única e não volta.
E lembre-se sempre:
Se ama a vida, você deve odiar o tempo!

Velhas gavetas

Sempre haverá coisas interessantes escondidas em velhas gavetas. Coisas que nem lembrávamos mais, de tempos atrás.
Às vezes são cartas de antigos amigos, ou grandes amores, que a vida levou, e que os rumos diferentes foram, lentamente, fazendo-nos esquecê-los.
Fotos que ficaram perdidas e, sem terem álbum para guardá-las, caíram no esquecimento. Fotos de família – Ah, como eram legais aqueles domingos! E ficamos sentados na cama, lembrando e sorrindo.
Num fim de tarde qualquer em que a casa e a rua descansam, e nada temos a fazer, encontramos meio que sem querer um rabisco colorido no fundo da segunda gaveta de um armário. – PAI EU TE AMO! Naquela letra desajeitada de quem vive no próprio mundo de fantasias, enxergamos a nós mesmos, anos atrás. E as imagens vão aparecendo pouco a pouco...
– Como eu pude mudar tanto a ponto de não mais demonstrar o amor que sinto? O sentimento é o mesmo, eu é que estou diferente.
Continuamos nossa viagem. E parece que somos crianças novamente. Apegamo-nos firmemente às pequenas coisas. Papéis dobrados, amarelados. Algum CD que compramos algum dia, mas por acaso não nos agradou. Guardemos este para ouvir outra hora, e descobrir que nossos gostos também mudaram.
E quanto nós podemos aprender com aqueles recortes de jornal, que por algum motivo não-memorável teríamos guardado naquela gavetinha!
E a busca segue. À esta altura nem lembramos o que procurávamos no início, pois que encontramos tanto e aquilo (seja o que for) nem nos importa mais.
Uma lágrima escorre ao nos depararmos com um singelo poema escrito sem pressa alguma, talvez em uma aula chata ou em uma dessas tardes tediosas.
A nostalgia é incomparável, ímpar. Em uma única tarde visitamos vinte anos de história, e lembramos de inúmeras histórias.
Podemos perceber, quiçá, o algo pelo qual começamos a busca nas gavetas amontoadas. Lá num cantinho, bem tímido, encabulado, está um menininho (ou será uma menina?). Recolho a criança, que mais parece um ser fantástico, daquela velha gaveta e ponho-a sob o lençol. Está triste e sem jeito. Levanto seu rostinho miúdo, seus olhos brilham parecendo dois grandes oceanos, e pergunto-lhe o nome. Surpreendo-me ao descobrir que aquela criança, na verdade, sou eu próprio, ou o que era há certo tempo.
Agradeceu-me por tê-lo tirado do armário e contou-me muitas coisas que aprendera com aquelas fotos, e cartões, cartas... e todos o resto que anteriormente eu tinha encontrado.
Disse-me também que, enquanto eu vivia a correria da maturidade, sempre com muitos problemas a serem resolvidos; ele apenas esperava o dia de nos reencontrarmos. Emocionei-me demais naquela tarde chuvosa. Beijei a cabeça daquele ser e coloquei-o sob a cabeceira da minha cama, longe de qualquer prisão.
Hoje sou outra pessoa. Todos os dias eu brinco com aquela criança. Corro, grito, dou risada e caímos no sono, abraçados, pelo chão da sala. Juntos outra vez.

Aquela miúda criança, que mais parece um duende,
Mudou a minha vida de repente, e ainda muda todo o dia
Alimenta-se de alegria e
Tem por nome de Lembrança!

É tudo nosso!!!






















Ao pores fim nas tuas sentenças...
Não marques nada além de...
Reticências!

Quando acabas o que pensas
Apenas começa o teu leitor...
Não há ponto final
Se tu escreves por amor


Fotos da minha querida praia do Cassino-Rio Grande/RS



Sem inspiração para compor...

Em crise como letrista.
Contudo, ainda sou escritor. E é por isso que estou aqui. Para postar algumas coisinhas que andei manuscrevendo e poderão, talvez, satisfazer meus leitores – se houver algum...

Máximas Quintanares

Fere de leve a frase... E esquece... Nada
Convém que se repita...
Só em linguagem amorosa agrada
A mesma coisa cem mil vezes dita.

Qualquer idéia que te agrade,
Por isso mesmo... é tua.
O autor nada mais fez que vestir a verdade
Que dentro de ti se achava inteiramente nua...

Não te abras com teu amigo
Que ele um outro amigo tem
E o amigo de teu amigo
Possui amigos também...
(...) discussões sobre poesia me deixam entediado. O que é poesia? Por que se tornou poeta? Como escreve os teus poemas? A poesia é dessas coisas que a gente faz, mas não diz.

A mentira é a verdade que se esqueceu de acontecer.

A imaginação é a memória que enlouqueceu.

Por favor, deixa o Outro Mundo em paz! O mistério está aqui.

(Mario Quintana)